Greve em Portugal causa transtornos a brasileiros

Paralisação geral contra medidas de austeridade propostas pelo governo cancelam voos.

Jair Rattner, BBC

24 de novembro de 2011 | 17h42

Depois de quatro anos morando na Europa, o agricultor gaúcho Fábio Vogel não conseguiu voltar para casa, no Rio Grande do Sul, por causa da greve geral que atinge Portugal nesta quinta-feira.

Ele deveria ter viajado na madrugada de terça para quarta-feira, mas a paralisação fez com que seu voo fosse adiado para as 2h30 de sexta.

"Está sendo um grande transtorno. Meu tio tirou três dias de folga para ir a Porto Alegre para me receber e eu vou ter um atraso de 32 horas. A TAP me colocou num hotel, mas tive gastos entre 50 a 70 euros durante este dia", contou.

Durante os quatro anos, o gaúcho de Campina das Missões morou na Alemanha, na Holanda e passou os últimos 18 meses na Dinamarca. "Sempre trabalhando na agricultura."

Para Vogel, a viagem à Europa serviu para conhecer formas mais eficientes de trabalhar a terra. "Não tem nada a ver com o que fazemos lá. É muito mais avançado", afirma, dizendo que pretende trabalhar em sua terra na produção de leite e cereais.

O caso de Vogel não é exceção entre os brasileiros em Portugal, onde a greve - convocada por várias centrais sindicais contra novas medidas de austeridade propostas pelo governo - causou transtornos principalmente para quem estavam com a viagem marcada.

Cancelamentos

Todos os dez voos da TAP entre Portugal e o Brasil foram cancelados - a companhia é a que tem o maior número de voos entre o país e a Europa. Partidas para outros países da Europa foram canceladas, já que os controladores aéreos também entrarem em greve.

Segundo a TAP, a maior parte de seus passageiros brasileiros foi avisada e transferiu seus voos para outros dias.

Não foi o caso de Claudete Petrusa Alexandre, que estava em Portugal para visitar a sogra, que completou 104 anos.

"A greve atrapalhou minha volta para casa. Meu filho está de férias, cuidando do meu hotel, em Osvaldo Cruz (SP), mas ele estava com viagem marcada para os Estados Unidos hoje e eu só vou chegar no Brasil amanhã (sexta-feira)", conta.

Claudete afirma ainda que teve de pagar o hotel e a comida do próprio bolso. "A TAP me disse que o voo tinha sido antecipado para ontem e quem deveria me avisar era a agência de viagens no Brasil. Mas eles não tinham como avisar, eu estava viajando aqui em Portugal."

Não foi só na TAP que os brasileiros tiveram prejuízos. O professor aposentado Leovegildo Dutra, de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, perdeu um trem. "Foi um prejuízo tremendo. Perdi perto de R$ 2 mil. Tinha o hotel e a passagem para Lurdes e Milão pagos", reclama.

Mesmo quem não tinha viagem marcada também foi afetado. "(A greve) atrapalhou muito minha estadia. Queria conhecer Lisboa, mas os museus e monumentos estão fechados", disse Zeneide Figueiredo de Araújo, que está na capital portuguesa para defender na sexta-feira sua dissertação de mestrado. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
portugalgrevetapbrasileirosalso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.