Greve geral continua na Nigéria

A greve geral na Nigéria prossegue hoje, após os sindicatos dos trabalhadores terem rejeitado a proposta do governo para suspender a paralisação, em protesto contra o aumento de mais de 50% dos combustíveis, informou a BBC. "As pessoas estão mais determinadas", disse Adams Oshiomhole, presidente do Congresso Trabalhista Nigeriano (CTN). O governo propôs durante o fim de semana limitar a elevação dos combustíveis em 35%. No entanto, no sábado, um dos sindicatos do país e contrário ao CTN, o Congresso da União do Comércio (CUC), suspendeu sua participação na greve. Não há informação se um dos principais sindicatos de petroleiros irá ou não aderir à greve. A Associação dos Trabalhadores Sênior Nigerianos de Petróleo e Gás Natural, responsável por mais de 96% das receitas com petróleo no país, havia dito na semana passada que participaria da paralisação, caso um acordo não fosse obtido até domingo. O sindicato é um dos braços do CUC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.