Greve geral paralisa a Nigéria

Desafiando uma proibição do governo nigeriano, sindicatos promoveram nesta quarta-feira uma greve geral em protesto contra a alta nos preços dos combustíveis, paralisando o trânsito em Buja, a capital do país, e reduzindo a atividade econômica em vários outros centros urbanos. Na cidade portuária de Lagos, de 15 milhões de habitantes, grupos de jovens bloquearam as ruas com pneus incendiados. Mercados, estações de serviço e bancos foram fechados assim que os sindicatos ordenaram que suspendessem suas atividades ou "concordassem em dar dinheiro grátis". O governo do presidente Olusegun Obasanjo, que declarou a greve "ilegal", pretendia reunir-se com seu gabinete nesta tarde para discutir as conseqüências da paralisação.

Agencia Estado,

16 Janeiro 2002 | 13h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.