Greve na França deixa 1.500 postos sem combustível

Cerca de 1.500 postos de combustível da França localizados na parte de fora de supermercados sofriam hoje com a falta do produto em razão das greves realizadas no país contra a reforma previdenciária apoiada pelo governo do presidente Nicolas Sarkozy. A informação sobre a falta de combustível foi divulgada por uma associação do setor, segundo a France Presse.

AE, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 09h04

Cerca de 4.500 dos 12.500 postos de gasolina da França estão vinculados aos centros de compras. Esses postos fornecem 60% do combustível utilizado pelos motoristas da nação europeia. "20% a 25% de nossa capacidade de distribuição ou está parada ou com problemas", disse Alexandre de Benoist, um alto funcionário da União Independente de Importadores de Petróleo, que representa o setor.

Segundo ele, em particular a região da Bretanha e outras também no oeste da França estão em situação "muito preocupante", porque as centrais de distribuição nessas áreas estão ou em greve ou bloqueadas por manifestantes parados de outros locais. "Há pelo menos 1.500 postos que ficaram sem pelo menos um combustível ou estão sem nenhum", relatou Benoist.

Os trabalhadores protestam contra a iniciativa da administração Sarkozy de reformar o sistema previdenciário, aprovando medidas como o aumento da idade mínima para a aposentadoria no país. O governo argumenta que a reforma é fundamental para sanar o déficit orçamentário francês, mas os trabalhadores dizem que a medida atinge a classe injustamente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Françagrevepostoscombustível

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.