Greve pode afetar amanhã metade dos voos na França

Em torno de 40% a 50% dos voos que partem e chegam a aeroportos da França serão cancelados amanhã, devido a uma greve nacional contra as reformas que o governo quer implementar no sistema de aposentadoria, informou a Direção Geral de Aviação Civil (DGAC, na sigla em francês). Em Paris, cerca de 50% dos voos no aeroporto de Orly serão cancelados. No aeroporto Charles de Gaulle-Roissy, a previsão é de que 40% dos voos serão afetados.

ÁLVARO CAMPOS, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 19h51

Em outros aeroportos da França, a previsão é de que cerca de 40% dos voos venham a ser cancelados. Os voos de curta distância devem ser os mais afetados, enquanto as companhias aéreas tentam fazer com que os voos mais longos sejam prejudicados o menos possível, comentou um porta-voz da DGAC.

Os oito maiores sindicatos franceses convocaram protestos e greves para amanhã. O transporte ferroviário também deve ser afetado.

O projeto de reforma do sistema de aposentadoria na França - visto como essencial para os planos de reforma fiscal do presidente Nicolas Sarkozy - prevê a elevação da idade mínima para aposentadoria para 62 anos, dos 60 exigidos atualmente. O projeto também eleva de 65 para 67 anos a idade na qual os trabalhadores podem se aposentar com salário integral. O governo ainda planeja aumentar os impostos para quem ganha mais e acabar com alguns benefícios para funcionários públicos.

Com a reforma, o governo planeja sanear as contas do sistema de aposentadoria até 2018. O projeto foi recebido pela Assembleia Nacional na semana passada. O debate no Senado deve começar em 5 de outubro.

A França se comprometeu a reduzir seu déficit público para 6% do PIB no ano que vem, dos 8% previstos para este ano. Em 2012 o déficit deve cair para 4,6%, chegando em 2013 a 3%, o teto estabelecido pelos tratados da zona do euro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
greveaeroportosvoosFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.