Greve poderá interromper vôos na Europa

O tráfego aéreo na Europa será seriamente afetado na quarta-feira se os controladores de vôo da França entrarem em greve em protesto contra os planos de unificação do sistema europeu de gerenciamento de tráfego aéreo. Além da greve de um dia na França, outras ações foram planejadas na Grécia e em Portugal e paralisação de uma hora na Itália. Na Hungria, a capacidade de sobrevôo será cortada em 70%.As companhias aéreas cancelaram muitos vôos para e a partir da França e esperam longos atrasos em vôos dentro do espaço aéreo francês. Os controladores de tráfego aéreo da França cortarão em 50% a capacidade de sobrevôo, disse um porta-voz da ATCEUC, a Coordenação do Sindicato de Controladores de Tráfego Aéreo da Europa.Os ministros dos Transportes da Europa apoiaram amplamente "o céu europeu único", uma série de medidas elaboradas para aliviar o congestionamento e diminuir os atrasos que objetivam colocar os controladores de tráfego aéreo nacionais dentro de um mesmo sistema de regulamentação até o final de 2004.Mas a proposta de deixar os aviões voarem por rotas determinadas mais pela lógica do que pelas fronteiras nacionais é rejeitada pelos sindicatos, que temem que a medida levará à privatização do controle do tráfego aéreo. Os controladores também temem que o plano para aumentar a eficiência será feito às custas da redução da segurança.A British Airways cancelou, com exceção de quatro, seus 126 vôos diários para a França programados para quarta-feira, disse um porta-voz. A empresa está aconselhando os passageiros a checarem as últimas informações sobre os vôos. O Air France pode operar apenas 10% da rede doméstica e européia, informou um porta-voz. Contudo, a empresa poderá operar 90% dos vôos de longa distância.A Deustsche Lufthansa recebeu permissão das autoridades francesas de tráfego aéreo para operar cinco vôos de retorno à França de um total de 70, disse um porta-voz da companhia alemã. "Nós tentaremos colocar uma aeronave maior nesses vôos", disse o porta-voz, acrescentando que deve haver atrasos em vários vôos da Lufthansa para outros países europeus.A Easyjet cancelou 43 dos 57 vôos para a França, mas não terá de lidar com as greves curtas na Itália e Portugal, já que não tem vôos para esses destinos. A KLM irá operar apenas três vôos para a França, disse o porta-voz da KLM, Hugo Baas. A KLM normalmente opera de 15 a 20 vôos diários para Paris, Nice, Tolouse e Lyon. "Aconselhamos nossos clientes a remarcar seus vôos para destinos onde greves devem ocorrer".A maior companhia área da Espanha, Iberia, disse que vai operar 184 dos 972 vôos previstos para quinta-feira, dia em que os principais sindicatos da Espanha estão organizando uma greve nacional. A greve foi convocada em resposta a medidas do governo que têm como objetivo restringir benefícios aos trabalhadores. Os sindicatos representam dois milhões de trabalhadores. A Iberia informou que o número de vôos que vai operar equivale a 19% do total previsto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.