Greve prejudica transportes na França

Trabalhadores protestam contra reforma previdenciária; aeroportos e metrô funcionam parcialmente

estadão.com.br,

23 de setembro de 2010 | 08h51

Grevistas protestam em Lyon. Foto: Robert Pratta/Reuters

 

PARIS  - Os franceses enfrentam pela segunda vez em um mês um dia de greve geral nos serviços de transporte do país. Mais da metade dos voos nos aeroportos de Paris foram cancelados e o metrô da capital opera com 75% da capacidade de funcionamento. O serviço de trens interestadual deve ter um corte de 50%.

As centrais sindicais do país protestam contra a reforma previdenciária do presidente Nicolas Sarkozy, que visa elevar a idade de aposentadoria de 60 para 62 anos.

De acordo com François Chereque, presidente da central sindical CFDT, o número de manifestantes que sairá às ruas será crucial para o futuro do movimento.

No primeiro dia de greve, em 7 de setembro, as manifestações grevistas reuniram 2,5 milhões de pessoas em todo o país, segundo os sindicatos, e 1 milhão, de acordo com a polícia. Ao menos 232 passeatas foram programadas por toda a França para hoje.

O governo alega que a reforma é necessária para evitar a quebra do sistema previdenciário francês, devido ao envelhecimento da população. A oposição argumenta que a aposentadoria aos 60 é um símbolo do sistema de bem-estar social francês e diz que a reforma deveria fazer mais exceções a algumas categorias de trabalhadores.

 

Com AP e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Françagreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.