Laurent Cipriani/AP
Laurent Cipriani/AP

Greves perdem força na França

Garis de Marselha, condutores de trem e parte das refinarias voltam ao trabalho

estadão.com.br,

26 de outubro de 2010 | 17h09

PARIS - A greve geral convocada pelos sindicatos franceses perdeu mais força nesta terça-feira, 26, com o retorno ao trabalho dos coletores de lixo em Marselha e de parte dos trabalhadores da indústria petrolífera. Os serviços de transporte ferroviário estão operando perto do normal.

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Protestos na França

lista Entenda: Reforma na previdência motiva greve

documento Gilles Lapouge: A revolta dos jovens

especialEspecial: Veja o histórico de manifestações na França

Em Marselha, os garis começaram a recolher parte das 9 mil toneladas de lixo que se acumularam nas ruas durante as duas semanas de greve. O porto da cidade, no entanto continua paralisado.

Sete das doze refinarias da França ainda estão paralisadas e a falta de combustível ainda afeta parte do país.

Por duas semanas, protestos e uma greve geral contra a reforma previdenciária do presidente Nicolas Sarkozy paralisou a França. Segundo o ministério do Interior, 2,5 mil pessoas foram presas nas manifestações.

O Senado aprovou nesta terça uma versão final da reforma, que deve ser votada amanhã pela Câmara, para depois ir à sanção presidencial. Uma nova greve geral foi convocada para quinta-feira.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.