Gripe H1N1 mata 56 pessoas desde outubro no Egito

O vírus da gripe H1N1 ressurgiu no Egito, infectou 1.172 pessoas e matou outras 56 desde 8 de outubro, informou uma autoridade do Ministério da Saúde do país na segunda-feira.

REUTERS

27 de dezembro de 2010 | 18h08

O vírus infectou 16.373 pessoas, das quais 281 morreram, desde quando foi detectado pela primeira vez no país africano em junho de 2009, disse a autoridade, que pediu anonimato.

O surto do H1N1, popularmente conhecido como gripe suína, surgiu em 2009 e rapidamente se espalhou pelo mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que 18.450 pessoas morreram do vírus, incluindo muitas grávidas e jovens.

No ano passado, o Cairo tomou uma série de iniciativas para tentar limitar a disseminação do H1N1, como o abate de todos os porcos no país e o fechamento temporário das escolas, além de parar passageiros com febre nos aeroportos.

(Reportagem de Mohamed Abdellah)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOGRIPEMATA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.