Gripe suína: Argentina pede suspensão das aulas

O governo argentino pediu que todas as escolas do país suspendam as aulas, numa tentativa de evitar que o vírus da gripe suína se espalhe ainda mais pelo país. O anúncio feito no começo da noite pelo novo ministro da Saúde da Argentina, Juan Luis Manzur, algumas horas após tomar posse do cargo, ressalta a crescente preocupação dos argentinos com a Influenza A e suas consequências. "A situação é séria", disse.

ANDRÉ LACHINI, Agencia Estado

01 de julho de 2009 | 20h09

Manzur, cujo predecessor renunciou ao cargo na segunda-feira em meio a controvérsias com outros ministros sobre o combate à doença, disse que o governo destina 1 bilhão de pesos (US$ 263 milhões) para conter o vírus. Especialistas dizem que o número de casos de gripe suína e de mortes no país é bem maior que os reportados pelo ministério. De acordo com o último relatório do Ministério da Saúde da Argentina, foram registrados 1.587 casos confirmados e 26 óbitos, mas dados de Buenos Aires, que dão conta de 29 mortes por gripe suína apenas na província, contradizem o relatório. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaArgentinaaulassuspensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.