Gripe suína: China busca quem fez contato com doentes

A China ampliou hoje a busca por pessoas que entraram em contato com dois doentes que tiveram confirmada a influenza A (H1N1), a gripe suína, na parte continental do país. Autoridades na capital e na província de Shandong, no leste, buscavam pessoas que entraram em aviões e trens por que passou um estudante de 19 anos, que ontem recebeu a confirmação de que estava com o vírus. Criticada pela forma como lidou com a epidemia de Sars em 2003, Pequim reage agressivamente para evitar uma grande epidemia na nação mais populosa do mundo. O doença até agora matou pelo menos 65 pessoas, todas nas Américas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) de hoje.

AE, Agencia Estado

14 de maio de 2009 | 13h00

O chinês de 19 anos estava no Canadá, onde se contaminou, e voltou para Pequim na semana passada. Ele aparentemente sentiu-se doente no domingo, dois dias após chegar ao país. Porém ainda assim entrou em um trem na segunda-feira, seguindo para a província de Shandong, com febre, dor de garganta e de cabeça. O departamento de saúde provincial colocou em quarentena 23 pessoas, em suas residências ou em hospitais, para examinar se há sintomas da gripe, segundo a agência estatal Nova China. A agência revelou que ainda são procuradas outras 20 pessoas que viajaram no mesmo trem que Lu e também passageiros de seu voo na Air Canada para Pequim.

Lu é o segundo paciente confirmado de influenza A (H1N1) na China. Antes, foi confirmada a doença em um homem de 30 anos, morador da cidade de Chengdu, sudoeste do país. Dois outros casos foram confirmados em Hong Kong. Autoridades informaram que deixaram em quarentena seis pessoas que viajaram com o segundo caso, um homem de 24 anos, vindo de San Francisco. Outras 45 pessoas que estavam no avião não foram localizadas em Hong Kong, segundo as autoridades. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaChinabusca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.