Gripe suína: FAO quer que porcos sejam monitorados

Suínos e todos os animais domésticos devem ser monitorados atentamente quanto a sintomas semelhantes aos de gripe após a detecção do vírus da influenza A H1N1 em porcos no Canadá no fim de semana, pediu hoje a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). No entanto, a FAO reiterou que animais não precisam ser sacrificados para evitar a disseminação da gripe suína. "A transmissão de humano para animais que ocorreu no Canadá não é uma surpresa, já que vírus de influenza podem ser transmitidos de humanos para animais", afirmou Joseph Domenech, veterinário chefe da FAO.

AE, Agencia Estado

04 de maio de 2009 | 12h09

"O ocorrido no Canadá, portanto, não deve ser motivo de pânico, mas deve servir para nos lembrar da relação entre humanos e animais na transmissão de vírus, e que devemos nos manter atentos a isso." De acordo com a FAO, a influenza A H1N1 não pode ser transmitida para humanos por meio do consumo de carne suína e produtos derivados. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaFAOCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.