Grupo alemão anti-Islã continuará com manifestações

Após ter uma de suas manifestações cancelada pela polícia por causa de ameaças contra um de seus líderes, o grupo alemão que se autodenomina Europeus Patrióticos Contra a Islamização do Ocidente (Pegida, na sigla em inglês) afirmou que não irá ser silenciado.

O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2015 | 17h13

O protesto organizado para acontecer nesta segunda-feira em Dresden foi cancelado depois que a polícia foi informada de que Lutz Bachmann, o líder mais conhecido do Pegida, poderia sofrer um ataque.

O cancelamento "não significa que iremos nos deixar ser amordaçados", afirmou uma das organizadoras do movimento, Kathrin Oertel. O grupo planeja uma nova manifestação na semana que vem.

O braço dinamarquês do Pegida também anunciou que pretende seguir em frente com o seu protesto em Copenhague nesta segunda. / Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaPegida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.