Grupo apóia ex-ministro do Timor acusado de armar civis

Mais de 3 mil pessoas se manifestaram em Díli para mostrar seu apoio ao ex-ministro do Interior Rogério Lobato, que está sendo julgado por armar civis para eliminar rivais políticos do ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri.Os seguidores do ex-ministro chegaram à capital timorense em centenas de caminhões, microônibus e motocicletas. Eles carregavam cartazes e bandeiras, gritando "Viva Rogério" e "Viva a Fretilin", o partido governamental.Aquelino Cabral, de 52 anos, dirigente da Fretilin no distrito de Liquiçá, declarou que o tribunal e os juízes devem ser imparciais. Ele pediu um julgamento independente e sem intervenção política."Lobato não pode ser punido por motivos políticos. Se houver injustiça no julgamento, faremos o possível para desestabilizar o Timor Leste", ameaçou.Os milhares de simpatizantes do ex-ministro não puderam chegar ao palácio de justiça. As estradas foram bloqueadas por forças da ONU e soldados australianos e neo-zelandeses.O enviado especial da ONU no Timor Leste, Athul Khare, disse que a polícia da organização manterá a segurança durante o julgamento.Lobato é acusado de autorizar a entrega de armas automáticas a um grupo de civis liderado por ex-guerrilheiro Vicente da Conceição. Caso seja declarado culpado, pode ser condenado a 15 anos de prisão.O procurador-geral Longuinhos Monteiro declarou que apresentará pelo menos 12 testemunhas e que tem provas de que Lobato forneceu armas a civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.