Grupo armado mata 14 pessoas em Honduras

Um grupo armado com rifles matou pelo menos 14 pessoas em um campo de futebol na cidade de San Pedro Sula, no norte de Honduras, neste sábado. Segundo o vice-ministro de Segurança do país, Armando Calidonio, o grupo chegou ao local em um carro e atirou à queima-roupa nas vítimas. Dez morreram no local e outras quatro a caminho do hospital. Outras pessoas ficaram feridas, algumas gravemente, segundo Calidonio.

AE, Agência Estado

31 de outubro de 2010 | 10h15

O grupo que realizou o ataque era formado por mais ou menos cinco pessoas, mas a polícia ainda não tinha suspeitos do crime. "Ainda não sabemos o motivo dessa tragédia", disse Calidonio.

A chacina ocorreu em Colônia Felipe Zelaya, um bairro populoso e violento de San Pedro Sula que abriga centenas de membros de gangues. Ataques desse tipo são comuns em Honduras.

Maras - gangues de rua que surgiram em Los Angeles e se espalharam pela América Central - são acusadas de promover uma onda crescente de crimes violentos, extorsões e, mais recentemente, de trabalhar para cartéis do tráfico de drogas.

Em setembro deste ano, homens armados mataram 18 empregados de uma fábrica de sapatos em San Pedro Sula, num ataque atribuído à rivalidade entre gangues. Em outro ataque no mês passado, seis jovens foram mortos em uma casa. De acordo com autoridades, o crime tinha relação com o tráfico de drogas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Honduraschacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.