Grupo armado rouba explosivos na França

Um grupo de homens armados, provavelmente separatistas bascos, roubaram mais de uma tonelada de explosivos de um armazém no sudeste da França e mantiveram nove reféns durante diversas horas enquanto praticavam o roubo, informou a polícia francesa nesta quinta-feira.Um homem suspeito de ter participado do ataque, e conhecido pelas autoridades locais como membro do movimento separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade), foi detido na manhã de hoje em um bloqueio rodoviário feito pela polícia na região de Ardeche.De acordo com as autoridades locais, seu veículo, que tinha placas falsas, continha armas e documentos ligados aos ETA.O crime foi cometido em Veurey, na periferia de Grenoble, na noite de ontem. Todos os reféns foram libertados ilesos. Eles ficaram presos na sala de controle de segurança do armazém. Entre os reféns estavam um casal e o filho recém-nascido deste.Os assaltantes levaram 1,6 tonelada de explosivos e 20.000 detonadores, segundo a polícia. Os explosivos roubados são de um tipo normalmente utilizado em áreas de construção.O roubo está sendo investigado pela unidade antiterrorismo da polícia de Paris. O homem detido, que portava documentos falsos, foi levado à capital francesa.Os ataques promovidos pelo ETA já deixaram mais de 800 mortos desde o início, em 1968, de sua luta armada por um Estado basco independente ligando o nordeste da Espanha e o sudoeste da França.Desde o fim de uma trégua de 14 meses, em dezembro de 1999, o grupo armado já assumiu ou teve a si atribuída a autoria de 26 assassinatos.O ETA ataca raramente na França. Mas seus membros têm o hábito de se refugiar em abrigos no sudoeste francês. Depósitos de armas também já foram encontrados na região.A refém Nicole Destenave disse à Associated Press que o grupo falava espanhol e dizia pertencer ao ETA. De acordo com ela, que visitava a família do segurança no momento do ataque, entre seis e oito assaltantes invadiram o armazém e mandaram todos se deitarem no chão.Enquanto dois homens observavam os reféns, os outros saqueavam os explosivos. A operação durou três horas. Os explosivos foram levados em dois caminhões. Duas horas mais tarde, os reféns foram libertados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.