Grupo assume responsabilidade por ataque na Nigéria

O grupo islamita Ansaru assumiu a responsabilidade pelo sequestro de sete estrangeiros em uma violenta ofensiva contra o acampamento de uma empresa de construção em uma região rural no norte da Nigéria durante o fim de semana.

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2013 | 10h05

Em um comunicado distribuído por e-mail para vários jornalistas, o grupo afirmou que está mantendo, "em cativeiro, sete pessoas, incluindo cidadãos libaneses e da União Europeia que trabalham com a Setraco", empresa libanesa alvo do ataque.

Segundo um funcionário da construtora, que preferiu não identificar, os operários nigerianos do local foram poupados da ofensiva. Os agressores entraram pelos fundos do acampamento enquanto a segurança protegia a entrada do local, afirmou.

As autoridades locais afirmam que o grupo matou um segurança e sequestrou estrangeiros de origem inglesa, grega, italiana e libanesa. Esse é o maior sequestro na região, que vive sob ataque de extremistas islâmicos.

A ação ocorreu no sábado, em Jama''re, uma cidade rural do estado de Bauchi. Inicialmente, os homens armados atacaram uma prisão local, queimando dois caminhões da polícia, disse o porta-voz da corporação, Hassan Muhammed.

Em seguida, o alvo foi o acampamento da Setraco, que está na região para as obras de uma estrada. O segurança da empresa morreu com um tiro e os sete estrangeiros foram levados como reféns.

A agência de notícias italiana Ansa noticiou que as autoridades da Itália confirmaram o sequestro de um italiano. A agência citou o ministro de Relações Exteriores, Giulio Terzi, dizendo que a segurança dos reféns deve ser "prioridade absoluta". Os departamentos de relações exteriores da Inglaterra e da Grécia disseram no domingo que estavam acompanhando o sequestro.

As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
NigériasequestroAnsaru

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.