Grupo curdo assume autoria de incêndio em Istambul

Um grupo militante curdo assumiu a responsabilidade pelo incêndio no Aeroporto Internacional de Ataturk, em Istambul, nesta quarta-feira, informou o site de uma agência de notícias curda. A veracidade do comunicado, no entanto, não pôde ser confirmada.A Organização Falcões Curdos da Liberdade, um grupo extremista ligado à principal guerrilha curda, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), afirma que começou o incêndio, que destruiu grande parte do terminal de cargas do aeroporto, segundo o site da agência de notícias Firat.O incêndio começou no depósito de combustíveis do aeroporto, destruindo posteriormente a seção de cargas e atingindo a maior parte do prédio. Cerca de 2 mil trabalhadores tiveram que deixar o local. O fogo fechou uma ala do aeroporto causando atrasos de algumas horas em certos vôos. Mesmo assim, as autoridades afirmam que não há risco para as aeronaves, e encorajou os passageiros a viajarem normalmente. A Firat, que freqüentemente veicula informações de líderes rebeldes curdos, afirma que recebeu o anúncio do grupo assumindo a autoria por e-mail. O grupo extremista assumiu a responsabilidade por oito atentados, inclusive um ataque que deixou dois mortos e 47 feridos em Istambul neste ano. Recentemente, militantes do grupo afirmaram que alvos turísticos e econômicos estavam entre suas prioridades. Oficiais do governo se recusaram a comentar as afirmações do grupo, que não puderam ser confirmadas. Horas antes, oficiais turcos alegaram que o incêndio havia sido causado por uma sabotagem. Militantes curdos lutam pela autonomia em relação à Turquia desde 1984, em conflitos que já deixaram mais de 37 mil mortos. O PKK realiza a maior parte de suas ações em cidades de maioria curda do sudeste do país, mas os Falcões prometeram levar sua luta às cidades turcas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.