Grupo da Al Qaeda diz que vai manter pequenos ataques

O braço da rede Al Qaeda no Iêmen ameaçou com mais ataques em pequena escala contra os EUA para causar danos econômicos, especialmente no setor aéreo.

AMENA BAKR, REUTERS

21 de novembro de 2010 | 10h47

A Al Qaeda na Península Arábica (AQAP, na sigla em inglês) afirmou que custou apenas 4.200 dólares enviar duas bombas do Iêmen aos Estados Unidos no mês passado. As bombas, interceptadas por Dubai e Grã-Bretanha, acabaram disseminado um alerta de segurança no mundo inteiro.

"É um bom negócio para nós disseminar medo no inimigo e mantê-lo alerta em troca de alguns meses de trabalho e algum dinheiro", disse a AQAP em sua revista online Inspire, divulgada em sites de militantes na Internet .

"Estamos colocando nosso plano para nossos inimigos antecipadamente, porque como informamos anteriormente nosso objetivo não é causar o máximo de mortes, mas causar (dano) na indústria da aviação, uma indústria que é tão vital para o comércio e transporte entre os EUA e Europa."

(Reportagem de Amena Bakr)

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENALQAEDAATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.