EFE/POLICÍA ESTATAL DE RAGUSA
EFE/POLICÍA ESTATAL DE RAGUSA

Grupo de bombeiros é preso na Itália acusado de forjar incêndios

Voluntários chegavam a simular pedidos de ajuda na região de Sicília com o objetivo de cobrar pela intervenção

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 11h18

ROMA - Um grupo de 15 bombeiros voluntários foi denunciado nesta segunda-feira, 7, por suspeita de provocar incêndios e simular pedidos de ajuda na região italiana da Sicília com o objetivo de cobrar pela intervenção. A polícia de Ragusa, no sul da Itália, informou que eles já foram detidos.

Os bombeiros teriam provocado princípios de incêndio e efetuado falsos alertas de socorro, de acordo com os investigadores. A ação permitia sua intervenção e a cobrança do pagamento de € 10 euros por hora determinada pelo Estado.

Os 15 voluntários, todos procedentes da Província de Ragusa, foram detidos e acusados de fraude e danos. As detenções foram feitas depois que o comando provincial dos bombeiros ordenou uma investigação em consequência de um aumento brusco e anormal das intervenções da equipe.

Segundo a acusação, o grupo causava os incêndios, geralmente de pequenas dimensões, em jardins ou contêineres de lixo, e depois simulava pedidos de ajuda para comparecer ao local e controlar as chamas.

Em uma interceptação telefônica divulgada pela polícia, é possível ouvir dois bombeiros comentarem sobre as suspeitas de que estavam sendo investigados. "Provocamos incêndios, eles sabem. Eles sabem", dizia a gravação. / EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
Bombeiro Itália [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.