Grupo de direitos humanos diz que Turquia retrocedeu

A Turquia está retrocedendo nos direitos humanos e na execução da lei, afirmou o grupo de direitos humanos Human Rights Watch nesta segunda-feira, exigindo que o país dê passos para proteger o discurso livre, o direito de manifestações pacíficas e princípios legais.

Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2014 | 18h21

Em um relatório, o Human Rights Watch criticou as medidas do governo turco de aumentar o controle sobre a mídia e sobre a internet e a repressão a críticas e a protestos. "Pelo bem do futuro da Turquia e pelos direitos dos cidadãos, o governo precisa mudar o curso e proteger os direitos humanos em vez de atacá-los", disse Emma Sinclair-Webb, representante do grupo.

De acordo com o Human Rights Watch, enquanto milhares enfrentam acusações por participarem de protestos anti-governo em 2013, poucos policiais foram investigados por causar diversas mortes e milhares de ferimentos. O grupo também disse que o governo turco enfraqueceu o exercício da lei ao responder a um escândalo de corrupção com leis que frearam a independência do judiciário.

Um funcionário do governo turco disse que o governo do país não comentaria o relatório

O Human Rights Watch elogiou os esforços de paz do governo com o grupo rebelde curdo para encerrar um conflito de 30 anos, mas disse que uma "falha em determinar um recuo maior de direitos pode prejudicar o processo de paz embrionário". Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Turquiadireitos humanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.