Grupo de militares de alta patente deixa de apoiar Khadafi

Os oito militares líbios pediram em Roma que seus colegas também se unam à causa dos rebeldes na Líbia.

BBC Brasil, BBC

30 de maio de 2011 | 18h45

Oito militares de alta patente desertaram nesta segunda-feira do Exército do líder da Líbia, Muamar Khadafi, e fizeram um apelo a outros membros das forças de segurança para que também se unam aos rebeldes que dominam parte do leste do país.

Um dos oito desertores acusou as tropas de Khadafi de serem "genocidas" e de praticar atos de violência contra mulheres "em diversas cidades" do país.

Em uma coletiva em Roma, o general Oun Ali Oun leu um comunicado pedindo a soldados e policiais líbios que abandonem o regime de Khadafi "em nome dos mártires que morreram em defesa da liberdade".

Diversos militares, diplomatas e ao menos três ministros abandonaram o governo líbio desde o início da onda de protestos contra o governo no país, em fevereiro.

O ex-chanceler líbio Abdel Rahman Shalgam, presente na coletiva, disse que cerca de 120 soldados desertaram o regime nos últimos dias.

Outro general, Melud Massoud Halasa, disse que as forças de Khadafi têm no momento apenas "20% da eficiência" em comparação com o período anterior à onda de protestos. Ele agregou que "não mais do que dez generais" permanecem leais ao líder líbio.

Ainda assim, para muitos observadores, as forças de Khadafi continuam muito mais fortes do que os rebeldes.

'Pronto para aceitar'

As deserções militares ocorreram no mesmo dia da visita do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, a Trípoli, viagem vista por muitos comentaristas como a última tentativa de solução diplomática para o conflito no país norte-africano.

Após encontro com Khadafi, Zuma declarou que o líder líbio está pronto para aceitar o plano da União Africana por um cessar-fogo no país, que inclua a interrupção dos bombardeios da Otan (aliança militar ocidental).

No entanto, o mesmo plano havia sido rejeitado anteriormente pelos rebeldes e pela Otan, por não prever a saída de Khadafi do poder.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.