Grupo de policiais era alvo de explosão que matou 7 e feriu 14 em Xinjiang

O alvo do ataque a bomba que ocorreu na quinta-feira na Província de Xinjiang, na China, era um grupo de 15 policiais que estava em uma estrada nos arredores da cidade de Aksu, localizada a 650 quilômetros da capital Urumqi e a 60 quilômetros da fronteira com o Quirguistão. Sete morreram na explosão, que deixou 14 feridos, incluindo civis. Autoridades provinciais disseram que duas pessoas participaram do atentado: uma mulher, que morreu no local, e um homem, que ficou ferido e está preso. Segundo a porta-voz do governo de Xinjiang, Hou Hanmin, o homem pertence à etnia uigur. Muçulmanos, os uigures são os habitantes originais de Xinjiang e têm mais identidade cultural com a população da Ásia Central do que com os chineses han, etnia que representa 92% da população da China. Pequim afirma que há na região um movimento separatista, apoiado por uigures que defendem a criação de um Estado independente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.