Grupo do oeste dos EUA e Canadá faz pacto contra o carbono

Estados do oeste dos EUA e provínciasdo Canadá decidiram na quarta-feira reduzir suas emissões decarbono até 2020, promovendo os créditos de carbono e indo alémdas iniciativas da Casa Branca contra o aquecimento global. A Iniciativa Climática do Oeste, liderada pelo governadorda Califórnia, Arnold Schwarzenegger, visa a reduzir asemissões até 2050 para 15 por cento abaixo dos níveis de 2005. "Nosso compromisso coletivo vai construir um sistemaregional bem-sucedido a ser vinculado com outros esforços emtodo o país e finalmente no mundo", disse Schwarzenegger emnota. Cientistas dizem que a elevada concentração de gases doefeito estufa, como o dióxido de carbono, levará a tempestadescatastróficas, secas e inundações, devido ao aumento dastemperaturas e o degelo das calotas polares. A Iniciativa, formada por seis Estados dos EUA e duasprovíncias do Canadá, também decidiu formar um mecanismo decomercialização de créditos de carbono até o final de 2008. O objetivo do acordo é modesto em relação a outro acordoregional, feito recentemente por Nova Jersey e Flórida, parareduzir em 80 por cento suas emissões de carbono até 2050.Schwarzenegger também defende que a Califórnia faça cortesprofundos. Para muitos, as metas definidas pela ICO estão longe deserem suficientes. "Essas metas mal são consistentes com o queprecisa ser feito", disse em entrevista John Coequyt, analistade política energética do Greenpeace, em Washington. A força do pacto do oeste da América do Norte, junto com oacordo semelhante entre dez Estados na Costa Leste dos EUA,está em pressionar o Congresso dos EUA a aprovar uma legislaçãoque regulamente as emissões de gases do efeito estufa, segundoele. O pacto do Oeste não inclui Alberta, província canadenseonde se concentra a exploração de gás e petróleo do país,inclusive com a extração de areia betuminosa (piche), cujaprodução demanda muito carbono. Arizona, Califórnia, Novo México, Oregon, Washington e Utahsão os membros norte-americanos do pacto. Manitoba e ColúmbiaBritânica são as províncias canadenses que aderiram. Os EUA são o maior emissor mundial de gases do efeitoestufa, seguido pela China. O presidente norte-americano,George W. Bush, defende ações voluntárias contra os gases queretém o calor na atmosfera, ao invés de regras de cumprimentoobrigatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.