Grupo dono do 'Los Angeles Times' pede concordata

A empresa de mídia norte-americana Tribune, proprietária do Chicago Tribune e do Los Angeles Times, entrou hoje com pedido de concordata, no distrito de Delaware (EUA), listando ativos de US$ 7,6 bilhões e dívidas de US$ 12,9 bilhões. A companhia anunciou que está reestruturando voluntariamente suas obrigações de dívida sob proteção da lei de concordata e falências (Capítulo 11) e que vai continuar operando seus negócios durante a reestruturação. O Tribune informou que vai continuar publicando seus jornais e dirigindo seus canais de televisão sem interrupção e que possui caixa suficiente para isso. "Infelizmente, fatores fora de nosso controle criaram uma situação atípica - um súbito declínio na receita e uma economia turbulenta, juntamente com uma crise de crédito, tornaram extremamente difícil suportar nossa dívida", afirmou Sam Zell, executivo-chefe da empresa.O pedido de concordata veio após negociações que pretendiam reequilibrar o balanço financeiro da empresa. O magnata do setor imobiliário Samuel Zell comprou a companhia em 2007, por meio de um acordo altamente alavancado, e o fluxo de caixa da empresa não é suficiente para cobrir pagamento de US$ 1 bilhão em juros que vencem neste ano, de acordo com informações do Wall Street Journal.A concordata anunciada hoje destaca um profundo problema para o Tribune e outras editoras. Os negócios de jornais estão sendo prejudicados pela diminuição das vendas de publicidade e pelas dívidas, que são inadministráveis nas atuais condições do mercado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.