Grupo faz novas exigências para libertar italianas no Iraque

Um segundo grupo reclamou a autoria dos seqüestros de duas italianas no Iraque e ameaçou matá-las se a Itália não concordar em se retirar do país em 24 horas. A autenticidade do comunicado do grupo Jihad Islâmica no Iraque não pode ser verificado."Nós não aceitaremos nenhuma outra proposta", diz a mensagem deixada em um site conhecido por veicular comunicados de grupos islâmicos."Nós estamos estendendo o prazo final para 24 horas. Após isso, se não virmos os soldados italianos deixando o Iraque, nós executaremos a vontade de Deus contra as reféns.""Nós não estamos prontos para sentar e negociar com os terroristas. Nós queremos a libertação de nossas duas jovens voluntárias incondicionalmente (e) estamos fazendo tudo para que isso aconteça", disse a representante do ministro das Relações Exteriores italiano Margherita Boniver, que está na Jordânia para tentar resgatar as reféns. A Itália tem 3,5 mil homens servindo nas tropas multinacionais no Iraque.Jornalista turca é solta - Militantes iraquianos soltaram uma jornalista turca mantida refém por dois dias no norte do Iraque. Zeynep Tugrul foi seqüestrada no dia 8, na cidade de Tal Afar. Ela foi solta no Sábado e entregue a autoridades turcas na cidade de Mosul. Não há informação de qual grupo teria seqüestrado a jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.