Grupo guerrilheiro grego ameaça com mais ataques

O grupo disse que o seu ataque à embaixada foi dedicado à "resistência (iraquiana) que destrói a máquina de guerra dos EUA", acrescentando que o ato deixou muitos libaneses, iraquianos e palestinos felizes. "Nosso ataque contra a embaixada dos EUA é uma mensagem de que não só a Grécia não está alinhada à ordem estabelecida, como existe uma batalha. Há uma batalha armada contra a Nova Ordem", afirmou. O grupo mencionou o ministro da Ordem Pública grego, Byron Polydoras, e a ministra de Relações Exteriores, Dora Bakoyanni, chamando-os de "pretorianos" do governo dos EUA, pois ambos correram para embaixada logo após o ataque para condenar publicamente o ato. Tais referências feitas por grupos guerrilheiros gregos algumas vezes indicam os novos alvos. A Luta Revolucionária bombardeou anteriormente o Ministério de Economia da Grécia e a corte de Atenas, além de tentar assassinar o ministro da Cultura, George Voulgarakis, com uma bomba no último verão. Nunca nenhum membro do grupo foi preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.