Grupo humanitário acusa avanço judeu na Cisjordânia

Judeus assentados ocuparam milhares de quilômetros quadrados da Cisjordânia, expandindo o perímetro de suas comunidades. Eles ainda importunam fazendeiros palestinos, forçando-os a deixar as áreas, acusou hoje o grupo de direitos humanos israelense B''Tselem. Segundo o relatório da entidade, 12 assentamentos na Cisjordânia mais que dobraram de área e ocuparam outros 1.100 acres, a metade deles de propriedade dos palestinos, estendendo as cercas desde 2002, com o apoio do governo.Outros assentamentos gradualmente avançaram sobre milhares de acres desde a década de 1970, ao ampliar as propriedades sem autorização ou mesmo expulsando palestinos das regiões próximas, indicou o documento.O B''Tselem notou que cada vez mais pedaços da Cisjordânia não estão sob controle dos palestinos nos últimos anos. Entre eles há rodovias apenas para uso de israelenses e território tomado pela barreira instalada por Israel para separar seu Estado da região. Mais de 40% do território da Cisjordânia está sob a jurisdição dos assentamentos israelenses, indica o relatório.Há perto de 120 assentamentos judeus na Cisjordânia. Os palestinos desejam fundar seu Estado nessa área, junto com a Faixa de Gaza e um pedaço de Jerusalém. Nunca houve, porém, consenso para isso entre os dois lados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.