Grupo indonésio é acusado de ser braço da Al-Qaeda

O grupo indonésio Jemaah Islamiyah (JI) é acusado de ter cometido o ataque contra uma casa noturna em Bali em outubro de 2002, que deixou 202 mortos, e o atentado de 2003 contra o Hotel Marriot de Jacarta, que deixou 12 mortos. O grupo, cujo nome quer dizer ''comunidade islâmica'', também é acusado de ser um braço da Al-Qaeda, mas a ligação nunca foi provada. O Jemaah Islamiyah defende a criação de um Estado islâmico que cobriria os territórios da Malásia, Indonésia, Cingapura e o sul da ilha filipina de Mindanao.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.