Grupo islâmico assume ataque que matou 63 na Nigéria

Um integrante da seita islâmica radical Boko Haram reivindicou hoje, em nome do grupo, a autoria de uma série de atentados que resultou ontem na morte de pelo menos 63 pessoas no norte do país. "Nós somos os responsáveis pelos ataques em Borno e Damaturu", disse Abul Qaqa a um correspondente da agência de notícias AFP durante conversa por telefone. "Nós vamos continuar atacando formações do governo federal até que as forças de segurança parem de perseguir nossos integrantes, assim como civis vulneráveis", disse Qaqa.

AE, Agência Estado

05 de novembro de 2011 | 15h54

Ontem, ataques com bombas e tiros tendo como alvo delegacias de polícias e igrejas na cidade de Damaturu, no nordeste da Nigéria, realizados na sexta-feira, deixaram pelo menos 60 mortos e cerca de cem feridos, segundo testemunhas. Uma fonte da Cruz Vermelha confirmou a morte de 63 pessoas.

Autoridades locais disseram que os dois ataques foram perpetrados por militantes suicidas. A polícia foi colocada em alerta em todo o país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaterrorismoBoko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.