Grupo islâmico assume atentado na Indonésia

Um grupo radical islâmico do sudeste da Ásia reivindicou a autoria do ataque com carro-bomba à embaixada australiana em Jacarta, alegando que o atentado foi uma punição pelo apoio da Austrália à guerra no Iraque. Um website conhecido por divulgar conteúdo ligado a radicais islâmicos publicou uma declaração atribuída ao Jemaah Islamiyah da Ásia Oriental. A autenticidade do texto não pôde ser verificada de imediato."Decidimos cobrar a responsabilidade da Austrália, que consideramos um dos piores inimigos de Deus e da religião de Deus, o Islã", diz a nota. "Aqui fomos capazes de cobrar-lhe a responsabilidade hoje em Jacarta, onde um dos guerreiros sagrados conseguiu executar uma operação de martírio com um carro-bomba diante da embaixada". O atentado matou nove pessoas e feriu 173. A explosão ocorre a um mês das eleições gerais na Austrália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.