Grupo judeu denuncia revanche de colonos contra palestinos

Um grupo de direitos humanos israelense acusou hoje colonos judeus na Cisjordânia de já terem matado pelo menos 11 palestinos em ataques revanchistas, além de destruírem propriedades em distúrbios ocorridos desde que a violência israelense-palestina teve início há 13 meses.Num relatório de 24 páginas concentrando-se em distúrbios promovidos por colonos depois de ataques palestinos, o grupo, B´Tselem, acusou os militares israelenses de "tratarem a violência de colonos com complacência e clemência. Esta atitude é um dos fatores que permite que a violência continue".O relatório afirma que pelo menos 11 palestinos foram mortos em ataques revanchistas de colonos judeus depois de ações palestinas, mas destacou que o número pode ser maior, devido a alguns incidentes com vítimas em estradas que podem ter sido ataques intencionais contra palestinos.O estudo cita testemunhas palestinas relatando a destruição de campos agrícolas, casas e outras propriedades por colonos judeus depois de atiradores palestinos terem matado colonos. Suliman Najar, de Burin, nas proximidades de Nablus, afirmou no relatório que "quando um colono é morto ou ferido em qualquer lugar, nós pagamos o preço", mesmo se o ataque ocorreu em outra parte da Cisjordânia.Num caso, o estudo relata como colonos judeus na cidade de Hebron, Cisjordânia, saíram promovendo destruição depois que um atirador palestino matou um bebê de 10 meses em março."Por vários dias, colonos atacaram palestinos, danificaram suas propriedades e colocaram em risco vidas palestinas", diz o relatório, acusando os militares israelenses de não fazerem nada para conter os colonos, intervindo apenas seis dias depois, quando os colonos explodiram um botijão de gás numa loja palestina.O relatório afirma que desde que os confrontos tiveram início em 28 de setembro de 2000, 67 civis israelenses foram mortos na Cisjordânia e Gaza, incluindo 49 colonos. O B´Tselem denunciou a morte de colonos como "uma flagrante violação da lei internacional", mas, acrescentou, "tais ataques nunca podem justificar atos de violência dos colonos contra palestinos".O conselho de colonos rejeitou o relatório. Num comunicado, líderes dos colonos disseram que as conclusões do B´Tselem são "duvidosas" porque trouxeram depoimentos de palestinos.Enquanto rejeitava qualquer tentativa de colonos de fazerem justiça com as próprias mãos, o conselho afirmou que "os palestinos são o último povo do mundo que podem reclamar de qualquer tipo de violência, porque, como indivíduos e como uma sociedade, eles promovem terrorismo" contra civis.Num comunicado, as Forças Armadas israelenses garantiram que "agem para evitar a violência promovida por colonos contra a população palestina" e estacionam tropas no campo a fim de tentar conter atos de represália.Prejuízo da Telefônica Data soma R$ 26,1 milhões São Paulo A Telefônica Data Brasil Holding, empresa de transmissão corporativa de dados que foi cindida da operadora fixa Telesp, teve perdas de R$ 14,143 milhões no terceiro trimestre do ano, acumulando prejuízo de R$ 26,194 milhões em nove meses. Como a empresa foi criada em dezembro de 2000, não há base de comparação com períodos anteriores.A receita líquida foi de R$ 121,484 milhões de janeiro a setembro e o resultado bruto ficou negativo em R$ 8,227 milhões. O resultado operacional também foi negativo, em R$ 32,584 milhões. As despesas financeiras somaram R$ 6,397 milhões. O patrimônio líquido em 30 de setembro somava R$ 181,605 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.