Grupo ligado à Al-Qaeda assume ataque que matou 50

Um grupo ligado à Al-Qaeda assumiu neste domingo a responsabilidade pelos atentados com carros-bomba em bairros xiitas em Bagdá que mataram 50 pessoas na semana passada. O massacre foi uma resposta a "campanhas de segurança do exército e da polícia que miraram áreas sunitas", de acordo com um comunicado postado em um fórum e atribuído ao Estado Islâmico no Iraque e no Levante, braço da Al-Qaeda.

AE, Agência Estado

08 Setembro 2013 | 14h01

O derramamento de sangue acrescenta preocupações de que o Iraque caminha em direção à guerra sectária que matou dezenas de milhares em 2006 e 2007, em meio a um impasse político de longa duração e temores de que o conflito na Síria possa chegar ao país.

As autoridades têm respondido com operações de segurança abrangentes visando aos militantes, mas diplomatas e analistas dizem que elas não atacam as causas da violência. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
IraqueAl-Qaedaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.