Grupo ligado à Al-Qaeda assume atentados na Argélia

O grupo extremista Al-Qaeda no Magreb Islâmico reivindicou hoje a autoria dos atentados que provocaram a morte esta semana de pelo menos 59 pessoas na Argélia, em declaração enviada à emissora pan-árabe de televisão Al-Jazira. O grupo qualificou os ataques a uma academia de polícia, um quartel militar e uma empresa de engenharia canadense como uma retaliação à repressão das forças argelinas de segurança aos militantes islâmicos.Não foi possível verificar junto a fontes independentes a autenticidade da reivindicação, mas diversos grupos extremistas já enviaram mensagens semelhantes à Al-Jazira.Cinqüenta e nove pessoas foram mortas em ataques realizados num intervalo de menos de 24 horas entre a terça e anteontem. No pior deles, 43 pessoas morreram num ataque suicida contra uma academia de polícia em Les Issers, a 60 quilômetros de Argel, na terça-feira.Mais de 200 mil pessoas - entre supostos extremistas, civis e forças de segurança - já perderam a vida desde o início de uma rebelião islâmica em 1992, quando o Exército cancelou eleições cuja vitória de partidos islâmicos parecia certa.A Al-Qaeda no Magreb Islâmico é sucessora do Grupo Salafista de Pregação e Combate (GSPC), uma das guerrilhas islâmicas que se insurgiram em armas depois do cancelamento das eleições.

AE/AP, Agencia Estado

22 de agosto de 2008 | 11h29

Tudo o que sabemos sobre:
ArgéliaAl-Qaedaatentados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.