Grupo ligado ao Fatah pede seqüestro de israelenses

As Brigadas de Mártires de Al-Aqsa, o braço armado do Fatah, pediram nesta sexta-feira, 16, a seus militantes que "seqüestrem soldados e civis israelenses" para forçar sua troca por prisioneiros palestinos em presídios israelenses."Esta é uma chamada aberta a todas os nossos lutadores para o seqüestro de soldados e civis israelenses", disseram as Brigadas em comunicado enviado à imprensa.O grupo ligado ao Fatah, movimento liderado pelo presidente palestino, Mahmoud Abbas, responsabilizou o "inimigo israelense" pelas conseqüências de não libertar os prisioneiros palestinos.Israel mantém cerca de 10 mil presos palestinos, dos quais poderia libertar aproximadamente 1.300 em uma eventual troca pelo soldado israelense Gilad Shalit, cativo de milicianos palestinos desde 12 de junho do ano passado.O Fatah criticou o Hamas, com quem compartilha o governo palestino de união nacional, por excluir desta lista seu carismático dirigente Marwan Barghouti, preso desde 2002.Shalit foi capturado quando se encontrava de patrulha perto da fronteira com a Faixa de Gaza por comando do Hamas, dos Comitês Populares da Resistência e do até então desconhecido "Exército Islâmico" que conseguiram atravessar a cerca de separação cavando um túnel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.