Grupo mascarado forma linha de frente contra polícia

Um novo elemento entrou na onda de instabilidade política que atinge o Egito: um misterioso e violento grupo de jovens mascarados que se autodenominam "Bloco Negro" e prometem proteger manifestantes de ataques da polícia ou de partidários da Irmandade Muçulmana. Nos últimos seis dias de distúrbios no Egito, as mascaras negras do grupo estiveram na primeira fila dos protestos em diferentes cidades.

O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2013 | 02h10

Segundo testemunhas, na segunda-feira, integrantes do Bloco Negro conseguiram roubar um caminhão da polícia e conduzi-lo até a Praça Tahrir, onde o veículo foi incendiado. Autoridades do governo afirmam que a organização - que elas qualificam como "milícia" - usa armas de fogo contra forças de segurança. Esta é a primeira vez que o grupo entra em cena e seu slogan é: "Caos contra a injustiça". / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.