Grupo mata 13 passageiros de ônibus no Paquistão

Dezenas de homens, disfarçados com uniformes policiais, mataram a tiros 13 pessoas, que foram retiradas de um comboio de ônibus no sudoeste do Paquistão, e jogaram os corpos num barranco próximo ao local.

Agência Estado

06 de agosto de 2013 | 10h01

A razão do ataque, realizado na noite de segunda-feira, não está clara e nenhum grupo assumiu a responsabilidade pela ação, mas as suspeitas recaem sobre separatistas, que há décadas lutam na província do Baluquistão.

Os ônibus seguiam para a província central de Punjab. Os separatistas têm histórico de atacar pessoas nascidas na província, pois os veem como um fator que prejudica que independência. A província também abriga muitos militantes islamitas que realizaram ataques no passado, especialmente contra a minoria xiita.

Tropas paramilitares fazem a proteção de comboios que transitam pelo Baluquistão, mas os homens distraíram as tropas ao disparar contra um caminhão tanque que estava nas proximidades, declarou Kashif Nabi, funcionário da administração local.

Enquanto isso, dezenas de homens armados, vestidos com uniformes da política tribal, pararam o comboio de cinco ônibus num posto de verificação a cerca de seis quilômetros de distância, após dominar nove policiais que estavam no local, informou Abdul Waheed, vice-comissário do distrito de Bolan, onde o ataque aconteceu.

Os homens cercaram os ônibus e dois deles entraram em cada veículo para verificar as identidades dos passageiros, disse Waheed. Foram levados 22 passageiros, dentre eles nove policiais tribais, afirmou Waheed

Os policiais foram libertados poucos quilômetros à frente porque eram moradores locais, mantendo 13 reféns. A polícia encontrou os corpos dos 13 nesta terça-feira num barranco perto da cidade de Machh, a cerca de 10 quilômetros do posto de verificação onde os ônibus foram parados. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoviolênciaBaluquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.