Grupo militante islâmico assume autoria de atentados em Uganda

Ataque terrorista do Al-Shabbab, ligado à Al-Qaeda, é o primeiro fora da Somália

Associated Press

12 de julho de 2010 | 12h19

 

KAMPALA - O grupo militante somali al-Shabbab assumiu a autoria das explosões em Kampala, na Uganda, que deixaram ao menos 74 mortos, segundo as declarações do porta-voz insurgente Ali Mohamud Rage feitas nesta segunda-feira, 12.

 

As autoridades ugandenses suspeitavam que o grupo poderia estar por trás dos ataques do domingo, que ocorreram enquanto as vítimas assistiam à final da Copa do Mundo. Os atentados foram os primeiros do grupo somali ligado à Al-Qaeda fora da Somália.

 

Uma das bombas explodiu em um restaurante etíope em Kampala. A segunda explosão ocorreu em outro restaurante chamado "Kyadondo Rugby Club". Segundo dados da polícia, nas cenas das duas explosões o cenário era de cadeiras reviradas e muito sangue pelo chão.

 

Uma porta-voz da embaixada americana em Kampala, Joann Lockard, informou que ao menos três americanos - que faziam parte de um grupo religioso da Pensilvânia - ficaram feridos e um outro morreu nos atentados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.