Grupo pacifista insiste em protesto no Central Park

Um grupo pacifista pretende realizar uma grande manifestação no Central Park apenas um dia antes do início da convenção nacional do Partido Republicano, e pediu a um juiz que derrube uma decisão das autoridades municipais de Nova York, que proibiram o protesto. Advogados do grupo Unidos pela Paz e pela Justiça ingressaram com uma petição na Suprema Corte do Estado de Nova York, numa tentativa de obter uma ordem que impeça a prefeitura de negar ao grupo o uso do parque. Autoridades municipais de Nova York alegam temer que a multidão esperada para a manifestação de 29 de agosto, que poderia exceder 250.000 pessoas, "danifique a grama". No processo, o grupo lembra que no passado outros eventos já levaram ao mesmo setor do Central Park público igual ou superior ao previsto para a manifestação planejada. O grupo alega violação da Constituição estadual porque as autoridades de Nova York estariam agindo de forma discriminatória, permitindo eventos culturais, mas não políticos.

Agencia Estado,

18 de agosto de 2004 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.