Grupo pede que Exército da Tailândia liberte ativista

Um grupo de direitos humanos está pedindo para que a junta militar da Tailândia liberte uma ativista da oposição que apareceu na segunda-feira em um canal de televisão do exército dizendo que o tratamento era "muito bom para as palavras dizerem".

AE, Agência Estado

24 de junho de 2014 | 03h21

Kritsuda Khunasen, ativista do movimento Camisas Vermelhas, está desaparecida desde que as forças de segurança a detiveram em 28 de maio, na província de Chonburi, a leste de Bangcoc.

Em uma tentativa de provar que Kritsuda continua viva e está sendo bem tratada, a rede de televisão do Exército Canal 5 veiculou vários minutos de filmagem da ativista falando sobre a sua situação.

O grupo Advogados Tailandeses pelos Direitos Humanos insistiu que as autoridades libertem Kritsuda imediatamente. Eles justificaram o pedido dizendo que o paradeiro da ativista permanece desconhecido. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaativistaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.