Tham Luang Rescue Operation Center / AP
Tham Luang Rescue Operation Center / AP

Grupo preso em caverna inundada na Tailândia terá aulas de mergulho para ajudar no resgate

Os 12 meninos e seu treinador de futebol também receberão alimentos para quatro meses; socorristas seguem bombeando ao máximo a água para fora do local

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 05h58

MAE SAI, TAILÂNDIA - Os 12 meninos e seu treinador de futebol isolados há dez dias em uma caverna inundada na Tailândia receberão alimentos para quatro meses e aulas de mergulho para o resgate, anunciou a Marinha nesta terça-feira, 3. 

+ Os principais resgates de pessoas soterradas nos últimos 20 anos

+ Quase mil trabalhadores que estavam presos em mina na África do Sul são resgatados

+ Cerca de mil trabalhadores ficam presos em mina na África do Sul

Vamos "nos preparar para enviar mais alimentos para ao menos quatro meses e ensinar os 13 (membros do grupo) a mergulhar, enquanto seguimos retirando a água", afirmou o comandante Anand Surawan, da Marinha tailandesa. 

+ Autoridades mexicanas estimam que 50 pessoas seguem soterradas após terremoto

+ Marinha mexicana desmente busca por menina em escombros de escola

Os meninos, com idades entre 11 e 16 anos, e seu treinador, de 25 anos, foram localizados sãos e salvos na noite de segunda-feira no interior da caverna, cuja saída foi bloqueada por inundações há dez dias.

Um vídeo gravado pelos socorristas e publicado nas redes sociais mostra um grupo de meninos magros, vestidos com camisas de futebol sujas de lama, refugiados em uma saliência da caverna cercada pela água. "Obrigado", exclama um dos meninos, enquanto outro responde "13" à pergunta de um mergulhador sobre quantas pessoas estão presas no local.

Um grupo de médicos foi enviado para examinar os meninos e avaliar sua capacidade para mergulhar, a partir desta terça-feira ou em alguns dias, dependendo do seu estado. Enquanto isto, os socorristas seguem bombeando ao máximo a água para fora da caverna visando facilitar o resgate dos meninos, que deverão percorrer quatro quilômetros até a saída.

"Nossa missão de busca teve sucesso, mas ainda precisamos tirá-los de lá", disse o governador da Província de Chiang Rai, Rarongsak Osottanakorn, que chefia a célula de socorro. "Será preciso treiná-los (...). Vamos ver do que são capazes", afirmou o governador. 

"É inimaginável. Há dez dias que esperávamos por isto. Já não acreditava que este dia fosse chegar", desabafou o pai de um dos meninos. A localização deles provocou grande alegria na Tailândia, após vários dias difíceis de chuvas torrenciais. Uma emissora tailandesa acompanha ao vivo as operações. 

Os mergulhadores encontraram os meninos a centenas de metros de Pattaya Beach, a zona da caverna - agora inundada - onde acreditavam que eles estariam presos. Nopparat Kantawong, o técnico principal do clube de futebol dos garotos, se disse convencido de que o esporte e o espírito de equipe foram fundamentais para sua sobrevivência.

"Estou muito feliz. Nós os ensinamos a ajudar uns aos outros, como uma equipe (...). O futebol é um esporte de lutadores", disse ele à TV nacional na entrada da caverna. 

Em 2010, no Chile, um grupo de mineiros foi resgatado após quase 70 dias sob a terra. Na Alemanha, quatro anos depois, um homem foi encontrado a salvo em uma caverna depois de 11 dias. Em 2012, no Peru, um grupo de jovens ficou sete dias bloqueado. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia]caverna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.