Grupo pró-armas dos EUA lança jogo de tiro para celular

Game da NRA para iPhone e iPad é aprovado para crianças a partir de quatro anos.

BBC Brasil, BBC

16 de janeiro de 2013 | 11h51

A National Rifle Association (NRA), organização pró-armas dos Estados Unidos, lançou um jogo de tiro para iPhone e iPad que considera apropriado para crianças a partir de quatro anos.

O jogo NRA: Pratice Range foi anunciado como "novo centro nervoso para celulares" da NRA. O jogo, de acordo com a publicidade divulgada em seu lançamento, "alcança o equilíbrio entre jogo e educação" e também fornece acesso à "rede da NRA para notícias, leis, fatos, conhecimentos, dicas de segurança, material educacional e recursos online".

Os participantes do jogo podem praticar tiro contra alvos, incluindo alguns em forma de caixões, e escolher entre nove armas.

Algumas das armas podem receber um upgrade, se o jogador pagar US$ 0,99 (cerca de R$ 2,02).

O lançamento do jogo da NRA ocorre apenas cerca de um mês depois do massacre da escola primária de Sandy Hook, em Newtown, Connecticut, no qual 26 crianças e professores foram mortos por um atirador.

A tragédia fez com que os Estados Unidos retomassem o debate sobre as leis de controle do uso, venda e porte de armas no país, e muitos pediram por uma reforma nestas leis.

A NRA, cujo lobby pró-armas voltou a ser questionado, manteve sua defesa do porte de armas, alegando o direito de proteção dos cidadãos.

A organização não comentou o lançamento do jogo online.

Mais controle

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve revelar nesta quarta-feira novas medidas para controlar o uso de armas.

A proposta pode ser parecida com a que foi aprovada no Estado de Nova York na terça-feira, que é atualmente uma das leis mais rígidas para regular a posse de armas de fogo e munição nos Estados Unidos.

Democratas e republicanos do Estado votaram a favor da lei que limita a sete o número de balas em cada cartucho. Além disso, a legislação limita o acesso a rifles de ataque e introduz checagens mais severas para evitar que pessoas com problemas mentais adquiram armamentos.

Ao sancionar a lei, o governador do Estado, Andrew Cuomo, disse que o "bom senso pode vencer".

A NRA classificou as regras como "draconianas" e descartou impacto sobre a segurança pública.

Uma pesquisa realizada pelo jornal Washington Post e a ABC News Poll, divulgada na segunda-feira, informou que cerca de metade dos americanos dá mais apoio a medidas de controle de armas desde a tragédia em Newtown.

Na semana passada, o vice-presidente Joe Biden, responsável por um grupo para analisar o tema, se reuniu com representantes da indústria de videogames para discutir o conteúdo violento dos jogos.

Os representantes da indústria de games defenderam o uso de violência nos jogos e afirmaram que qualquer tentativa de regulamentação das mídias digitais não terá nenhum impacto em impedir crimes com armas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.