Grupo propõe cessar-fogo de 1 ano

Amos Gilad, autoridade do Ministério da Defesa israelense, propôs ao Hamas, por meio de mediadores egípcios, que o cessar-fogo na região da faixa de Gaza durasse ao menos um ano e meio. O representante do grupo radical islâmico, Ayman Taha, respondeu com uma contraproposta: um ano apenas, mas com a condição de que o bloqueio da Faixa de Gaza seja suspenso imediatamente e os israelenses deixem todos os postos de controle da região. Segundo Taha, o Hamas concorda que os postos sejam assumidos por observadores turcos e europeus. Questionado sobre a presença nas fronteiras de forças da Autoridade Palestina, Taha foi categórico: "É o Hamas que controla Gaza". Por sua vez, o Egito descartou ontem a possibilidade de a passagem de Rafah ser aberta sem a presença da Autoridade Palestina e de observadores da União Europeia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.