Grupo saudita prepara processo contra os EUA

Um advogado saudita pretende abrir mais de 15 processos contra o governo dos EUA, acusado de ter provocado ?danos materiais e psicológicos? a seus clientes após 11 de setembro, impedindo-os de terminar os estudos e arruinando reputações através dos meios de comunicação, informa o Arab News Online. Entre os clientes do advogado Katib Fahd Al-Shammary estão os sauditas cujos nomes e fotos foram publicados na imprensa americana por serem suspeitos de envolvimento nos ataques de 11 de setembro quando, na realidade, estavam no exterior no momento da tragédia. No grupo representado pelo advogado saudita há universitários que foram impedidos de terminar seus estudos e os que foram detidos por períodos mais ou menos longos, embora não houvesse nenhuma acusação contra eles. O advogado disse estar adiantando os procedimentos, já que mais de 600 famílias de vítimas de 11 de setembro entraram na semana passada com uma ação legal milionária contra príncipes sauditas, bancos, instituições assistenciais islâmicas e o governo do Sudão, todos considerados vinculados de algum modo à Al-Qaeda. Shammary é também um dos membros do grupo de advogados nomeado para defender os prisioneiros árabes detidos na base americana de Guantánamo, em Cuba. Os advogados têm a intenção de entrar com 80 processos contra os EUA no próximo mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.