Grupo sunita proscrito do Paquistão é suspeito de atentado

Para polícia paquistanesa suspeita de grupo sunita promoveu atentado Um grupo muçulmano sunita proscrito é o principal suspeito de ter organizado um atentado contra uma mesquita xiita que resultou na morte de 14 pessoas em Karachi na sexta-feira, informou Manzoor Mughal, investigador-chefe da Polícia Federal do Paquistão. De acordo com Mughal, a polícia está checando possíveis conexões entre um retrato falado do suposto homem-bomba, que estava vestido como clérigo xiita, e fotografias de ativistas do Lashkar-e-Jhangvi, o maior grupo sunita proscrito do Paquistão. Entretanto, ele ressalvou que a polícia ainda não identificou nenhum suspeito de participação no atentado. Também não foi divulgada nenhuma reivindicação de responsabilidade pelo ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.