Grupo tenta informações sobre bloqueio de empréstimos ao Haiti

Um grupo de defesa dos direitos humanos pediu nesta terça-feira à justiça americana que obrigue o Departamento de Tesouro dos Estados Unidos a liberar informações sobre o bloqueio de milhões de dólares em empréstimos ao governo do Haiti para projetos de reconstrução.A disputa data de 2001, quando credores internacionais suspenderam US$ 500 milhões em empréstimos e garantias de empréstimo à empobrecida nação centro-americana depois da vitória eleitoral do partido do então presidente Jean-Bertrand Aristide nas eleições parlamentares daquele ano.O Centro Robert Kennedy de Direitos Humanos alega que o governo americano comunicou erroneamente ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que retivesse US$ 146 milhões em empréstimos aprovados para projetos de saúde pública e educação no Haiti, o país mais pobre do hemisfério.Na época, Aristide qualificou o bloqueio como "genocídio", já que cerca de 80% dos oito milhões de habitantes do Haiti vivem em situação de extrema pobreza.Com base na Lei de Liberdade de Informação, o Centro Robert Kennedy de Direitos Humanos entrou com um pedido em 2003 para que tivesse acesso a documentos do governo americano sobre os empréstimos bloqueados. O centro alega que o processo de empréstimo não deveria estar sujeito a critérios políticos.O pedido feito à justiça visa a garantir que o Departamento de Tesouro forneça as informações requisitadas em 2003. Nem o Departamento de Tesouro nem o BID comentaram o pedido nesta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.