Grupo vem sofrendo desgaste nos últimos anos

A organização separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA) foi fundada em 1959, durante a ditadura de Francisco Franco, para lutar pela independência do País Basco, região que inclui o norte da Espanha e o sudoeste da França. Nos últimos 50 anos, seus atentados mataram cerca de 850 pessoas e há aproximadamente 800 membros do grupo na prisão. Nos últimos anos, aumentaram as prisões de líderes do grupo e Nicolas Sarkozy, eleito presidente da França em 2007, endureceu deixou de fazer vistas grossas aos terroristas que usavam o território francês. Em maio de 2008, o "número 1" da organização, Javier López Peña, foi preso na cidade de Bordeaux.

, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2011 | 00h00

Cada vez mais jovem, a cúpula da organização foi sendo pressionada pela polícia. Sem intelectuais com formação política, a ETA perdeu o caráter ideológico e o apoio da população. O maior golpe veio em maio de 2009, quando os nacionalistas perderam, pela primeira vez, as eleições locais. Na ocasião, analistas interpretaram a derrota como um sinal de exaustão do discurso separatista. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.