Grupo xiita ameaça desmontar governo iraquiano

O Bloco Sadr, que agrupa os deputados seguidores do clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr, ameaçou nesta sexta-feira se retirar do governo iraquiano se o primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, reunir-se de fato com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na próxima semana na Jordânia. O porta-voz do grupo parlamentar, Salah al-Akili, disse em entrevista coletiva que se Maliki viajar para Amã na próxima quarta-feira para se reunir com "o criminoso Bush" seus três ministros deixarão o governo e seus deputados abandonarão o Parlamento. Akili também impôs como condição a melhoria da segurança e a prestação de serviços no país. O Bloco Sadr, que tem 30 dos 275 deputados do Parlamento iraquiano, tem seu nome inspirado em Moqtada al-Sadr, o jovem clérigo xiita radicalmente oposto à presença das tropas dos EUA no país. O Bloco Sadr acusa os EUA pela insegurança que o Iraque vive, e neste sentido atribuiu ao governo americano a responsabilidade por todos os atentados, incluindo o múltiplo atentado com seis carros-bomba registrado ontem no bairro xiita Cidade de Sadr em Bagdá. A ação deixou ao menos 203 mortos e 250 feridos e foi o atentado mais mortífero no pós-guerra iraquiano.

Agencia Estado,

24 Novembro 2006 | 10h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.