Grupos antiglobalização vão construir favela em Sevilha

Os grupos integrantes do Foro Social Antiglobalização vão construir uma "favela" em Sevilha, onde nesta quinta-feira os chefes de Estado e governo da União Européia (UE) se reunirão em uma cúpula cujo tema principal será a coordenação de políticas para controlar a imigração.A primeira demonstração antiglobal será erguida na sede da Universidade Rainha Mercedes desta cidade da Andaluzia, onde serão instalados alguns habitantes de Bacie e Bermejales, as zonas economicamente mais pobres dessa província espanhola.Durante os dois dias da cúpula da UE, as praças e ruelas do centro histórico sevilhano servirão de palanque para uma série de manifestações de protesto, acompanhadas de conferências, foros e debates ligados à luta contra a globalização. Haverá um quebra-cabeças gigante antimilitarista e um "protesto lúdico" contra as instituições financeiras internacionais organizado pelos sindicatos anarquistas, entre outras atividades.A estas se somará uma manifestação da polícia local, por reivindicações específicas do setor, e outra contra um plano de redistribuição das zonas de ocupação urbana em função de projetos hídricos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.