AP Photo/Emilio Morenatti
AP Photo/Emilio Morenatti

Guarda costeira italiana resgatou 3,4 mil migrantes da costa da Líbia durante o fim de semana

Segundo estatísticas do Ministério do Interior da Itália, 124,5 mil pessoas chegaram à costa italiana ao longo deste ano, a maioria procedentes da África subsaariana

O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2016 | 11h04

ROMA - Um total de 3,4 mil migrantes foram resgatados durante este fim de semana na costa da Líbia, sendo 1,1 mil somente no domingo, anunciou a guarda costeira italiana, que coordena as operações de resgate nessa área do Mediterrâneo.

Os refugiados resgatados no domingo partiram da Líbia a bordo de oito lanchas pneumáticas sobrecarregadas e dois barcos de pesca.

Eles foram socorridos pelos navios dos serviços da Guarda Costeira e da Marinha da Itália por um navio britânico que participava da operação europeia anti-tráfico Sophia, um navio militar irlandês e diversos barcos humanitários.

O "Aquarius", fretado pelas organizações SOS Mediterrâneo e Médicos Sem Fronteiras (MSF), anunciou ter resgatado 252 pessoas, incluindo mulheres e crianças.

Esperava-se que as mais de 2,3 mil pessoas resgatadas no sábado, que viajavam para a Itália em 18 embarcações improvisadas, chegassem nesta segunda-feira, 12, em diferentes portos da Sicília.

Segundo estatísticas do Ministério do Interior italiano divulgadas na sexta-feira, 124,5 mil pessoas chegaram à costa italiana ao longo do ano, quase todas procedentes da África subsaariana. A quantidade é quase similar à registrada no mesmo período de 2015: 122 mil.

Contudo, a Itália tem que lidar ainda em 2016 com o fechamento das fronteiras no norte, que bloqueou o fluxo de migrantes pela península, um desafio para as estruturas de acolhida. No final de 2014, a Itália hospedava 66 mil pessoas; no fim de 2015, 103 mil; e, agora, 155 mil. / AFP

Veja abaixo: Assista trecho do documentário 'Quando Eu Era Você'

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaRefugiadoLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.